quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Só um botãozinho


Em algum lugar existe uma patroa. E, havendo uma patroa, há uma empregada doméstica.
Bem, essa empregada doméstica está, ao lado de alguns tipos de ouriço-do-mar, as minhocas e os cachorros Weimaraner, entre os seres mais limitados do planeta. Naquela cabecinha oca, Teco padece de solidão porque nem Tico por ali habita. E o lema da criatura seria oligofrenia pouca é bobagem, se ela soubesse o que é oligofrenia, e o que é bobagem.
Um dia estragou o aspirador de pó. E a patroa providenciou um novo, mais potente, pensando talvez na importância de dar boas ferramentas de trabalho à empregada, ou então pensando que se o conserto custa caro assim, melhor comprar outro, sei lá eu.
O aspirador novo & potente tinha um botãozinho apenas. Um. Unzinho.
Trabalhar com o aspirador significava apertar o botão pra ligar. E pra desligar, era só apertar de novo o mesmo botãozinho, até porque não tinha mais nada no aspirador pra ser premido.
Por via das dúvidas, a senhora essa que trabalha pra minha amiga foi orientada a nunca, mas nunca mesmo, apertar o tal botão com o pé. Vai que Teco não desse conta da tarefa e o pé, pesado demais, estragasse a nova aquisição doméstica.
Mas a faxineira nem precisou do pé pra estragar o aspirador. Usando um dedo só, no segundo dia de uso, ela detonou com o eletrodoméstico, dando continuidade a um longo histórico de intervenções desastradas na paz do lar da minha amiga. Se alguma empresa de eletros precisar contatar essa senhora, pra usar como testadora de eletros (sim, porque, passando incólume pelas mãos dela, deve passar por qualquer coisa), basta me contatar que agencio a contratação. Só não me perguntem porque minha amiga continua com essa empregada-destruidora-de-coisas-da-casa porque isso nem ela entende.

3 comentários:

venuss disse...

pena que administrar empregada não é tão simples qto apertar um botão.

Penkala disse...

olha, é injusto dizer certas coisas porque nem tudo que é empregada é burra, mas vou te contar, é uma das profissões mais oligo mesmo. vou te contar. 13 anos de experiência com a da minha mãe que, meu deus do céu, não sei como criou três filhos sem deixar que morressem...

Eva disse...

Venuss: é verdade, eu queria que fosse pelo menos relativamente simples administrar gente, mas é tão difícil...
Penkala: deves ter relatos interessantes pra fazer, fiquei supercuriosa.