terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Eu quero o seu voto

Eu não, na verdade, quem precisa do seu voto são os gatinhos. Tá, quem me conhece sabe que sou gateira de plantão e quem acompanha o blog e não me conhece também já devia estar desconfiando. Embora esteja em Porto Alegre, acompanho o trabalho de uma ONG de São Paulo que faz um trabalho lindo com gatinhos: a Adote um Gatinho.
Ela está concorrendo ao Prêmio Ibest na categoria Ações Sociais e ONGs. A AUG sempre esteve disparada com a maioria dos votos nesta categoria. Mas hoje descobri através do blog da Adote um Gatinho que a Igreja Universal também se inscreveu para concorrer e passou na frente na corrida pelo prêmio.
Portanto, estou pedindo o voto de vcs para a Adote um Gatinho.
Faço isso porque acho uma puta sacanagem a Igreja Universal estar concorrendo numa categoria dessas. Se a Universal é ONG, eu sou a reencarnação da Cleópatra.

Para votar, clique aqui.
Para conhecer a Adote um Gatinho, clique aqui.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Propaganda digrátis

Pra falar mal a gente corre. Quando é pra elogiar, às vezes demora um pouquinho. A geladeira estragou, fundiu o motor, deu os doces, era uma vez, como vcs sabem. No mesmo instante em que descobri isso, liguei pra Porto Seguro, a seguradora do nosso carro, e pedi atendimento. Não, eles não vieram guinchar a geladeira. Nosso contrato dá direito a 3 atendimentos domiciliares por ano pra consertos domésticos. Em menos de 3horas o técnico tava aqui e, em menos de 5 minutos, olhou com aquela cara de coisa ruim dizendo: queimou. Como faz? Compra um motor novo que amanhã eu venho aqui instalar pra senhora. Vinte e quatro horas depois de eu descobrir que a geladeira tava estragada, ela já tinha ressuscitado. E foi só o preço de um motor novo: R$ 265,00.
Muito bom esse serviço da Porto Seguro, eles vêm rapidinho, têm uma equipe de técnicos qualificada e já consertaram descarga da privada, fogão, máquina de lavar e a geladeira que eu me lembre nestes últimos 3 anos. E a gente só paga as peças. Sendo que nós mesmos temos que comprar as tais pecinhas. Não tenho do que me queixar.
Agora quando o assunto é com o carro, que é o motivo do tal seguro, aí é uma demooooora.
Vou ver se eles não têm algum seguro residencial que dê atendimento pro carro. Talvez a coisa melhore.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

A pergunta de uma vida

O que você salvaria se a sua geladeira estragasse e você só tivesse uma caixa de isopor com gelo em casa?

Socoooorro!

A sua geladeira já desistiu de você?
A minha resolveu que, depois de um final de semana sendo abastecida com comidinhas congeladas, era hora de tirar uma licença. Sem aviso prévio. E eu bem feliz que o freezer tava cheio de carninhas congeladas em porções pra 2, pão de queijo prontinho pra assar, uma lasanha no capricho, picadinho de carne e otras cossitas mas. Na hora do almoço, quando o meu trabalho era só tirar dois potinhos do freezer e colocar no microondas, encontro aquele açude de sangue. Terrível. Desesperador.

Coloquei pra assar a lasanha que fiz no domingo. No forno ainda quente, fiz uma seqüência de pão de queijo (tudo obra dessas mãozinhas que vos escrevem). Fritei 2 bifes sem razão nenhuma (porque sobrou mais de 12 bifinhos cortadinhos), só senti que eu precisava fazer algo e esse algo era atacar com a frigideria. Daí recuperei a consciência e saí correndo pra catar a caixa de isopor e comprar gelo. Depois limpei a inhaca que tava o freezer. E o chão, e os potinhos. E perdi duas preciosas horas pra quem tá com bastante trabalho atrasado.

Se alguém aí faz tempo que não me visita ou tá a fim de conhecer a minha casal, a hora é essa! O dia também. Tem um festival gastronômico rolando aqui no 201. É só chegar. Mas tem que ser hoje, porque se o técnico que chega em 1 hora não consertar a belezinha, até amanhã vai estar tudo estragado, assado ou não.

Proibição

O perfume deveria ser terminantemente proibido nas academias. Com um placa bem grande na entrada: 'Ambiente livre de perfume. Colabore'. Para uma alérgica, o paraíso do espirro é ter uma senhora com cheiro de talco na esteira ao lado.

sábado, 16 de fevereiro de 2008

Ah, idade.

Fiquei mais velha essa semana. E nem tô perto do meu aniversário. Fui na dermatologista e ganhei mais um creme diário. A quantidade de coisas que eu tomo, uso, passo ou esfrego aumentou.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Eu faço direito

Hoje, no Jornal da Band, uma reportagem sobre imprudências no trânsito mostrava duas ocorrências junto à Polícia Rodoviária de Xangrilá. Uma motorista bêbada que bateu o carro ao efetuar uma conversão em local proibido. E outro motorista bêbado acima do limite de velocidade que se negou a fazer o teste do bafômetro. O interessante é que os caroneiros de cada um dos casos pagaram o maior mico na TV. O que, diga-se de passagem, eu adorei assistir. A primeira era uma loira, jovenzinha, apresentada como estudante de direito, dizendo pra equipe da Band: "vocês não podem filmar aqui, eu faço direito, vocês não podem filmar aqui". A narração, enquanto mostravam um close da moça, dizia "e a jovem quis agredir o cinegrafista da equipe".

Bom, segundo a formação da futura advogada: filmar não pode, bater dá.

No outro flagrante, a caroneira, uma guriazinha de 19, querendo dar o carteiraço no policial pra liberar o carro: "o senhor sabe com quem está falando? Eu sou filha de delegado e eu posso ligar pra ele agora". E tudo na frente das câmeras.

Ela poderia ter dito: sou filha de um pai que não me educou direito, não me deu limites e me fez achar que eu posso tudo que dava no mesmo.

(O Anônimo me avisou que o vídeo tá no youtube. Agora tá aqui. Mas acho que este tá editado, porque no que eu assisti, o motorista do Santana dava depoimento e a filha do delegado falava mais coisas.)