segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Quando é mesmo que começa o feriadão?

Passei o feriadão trabalhando. Planos de cinema, passeios e coçação foram pro espaço. A perspectiva de viagem já tinha bailado há muito. Só hj, segunda de noite, consegui respirar profundamente sem achar que isto tiraria uns 30 segundos da minha concentração no trabalho. Nem sair pra comer entrou nos meus planos, mais porque eu sou uma indisciplinada que quando volta do restaurante quer mais é ficar na frente da TV e não voltar pro tronco escravo que é o micro.
Mas a sensação que reina hoje pra mim é "já passou?". O tal feriadão esperado já passou? Foi mais ou menos como tem sido meus finais de ano: chega 2 de janeiro e eu me pergunto 'o Natal já passou?' Já é ano novo? Por que mesmo que eu não acompanhei as cenas dos últimos capítulos? Quando é que vai passar no vale a pena ver de novo?

4 comentários:

Maroto disse...

no final do século XX os detentores dos meios de produção desaprenderam o que já havia levado tempo demais para eles entendem - trabalhador esgotado rende menos. O resultado é que a gente tem que correr cada vez mais pra produzir cada vez mais e se parar leva no lombo como as crianças que dormiam ao pé da Spin Jenny nos primórdios da revolução industrial.
Alvin Toffler já havia cantado a bola, mas quem haveria de acreditar que a burrice patronal chegaria ao ponto de repetirem-se os mesmos erros que - horror dos horrores - dão prejuízos incríveis.

A-go-ra, metade da culpa é nossa, que não sabemos subverter o sistema.

venuss disse...

maroto: um vôo rasante do urubu mais sábio da região sempre traz bons questionamentos.

Eva disse...

Maroto, concordo contigo: o pior não é que os detentores dos meios de produção lucrem indecentemente com a força de trabalho da gente. O pior é que a gente deixa e periga até achar que tá bom assim.

venuss: não esquenta, outros feriados virão. E irão. E a sensação de incompletude infelizmente vai persisitir, sinto te dizer. Porque essa sensação de incompletude é fundamental pra que a gente continue consumindo. O Bauman escreveu umas coisas legais sobre isso, recomendo o Modernidade Líquida. Bjs

Enio Luiz Vedovello disse...

Venuss, é assim mesmo. A gente faz planos e planos, não faz nada, não consegue render com o trabalho e ainda se culpa.
E quando consegue uns dias a mais para descansar, é só para voltar mais cansado ainda...