quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Mamoespremeção

Um pergunta que me faço desde os 35 anos - isto é, desde a minha primeira mamografia: como é que ainda não inventaram um jeito economicamente viável de verificar os nossos peitos sem ter que submeter os pobrezinhos àquele procedimento grotesco de colocá-los entre chapas de vidro que vão se aproximando, se aproximando, se aproximaaaaando até transformar até a mais ovo-frito das mamas numa rodela do tamanho de uma pizza grande?

6 comentários:

Enio Luiz Vedovello disse...

Admito que deva ser desconfortável, toda mulher que já passou pelo exame reclama, e com razão. Mas, infelizmente, a espremida tem uma razão de ser: é o único meio de separar as estruturas internas das mamas, para permitir a visualização adequada de cistos e nódulos.

Penkala disse...

e a dor, meu deus? antes dos 30 (que ainda não chegaram), fui obrigada a fazer duas mamografias. que-de-ses-pe-ro. dor e desconforto é brinquedo perto daquilo!

Eva disse...

É isso aí: o público do Calçolas é informado e tá nos ensinando vááárias coisas importantes, como faz o Ênio. E é solidário, e mostra que pelo menos não sofremos sozinhas, como sinaliza a Penkala. Valeu, pessoal. Bjs proceis!

Anônimo disse...

O grande problema da mamografia é partir do pressuposto de que todas as mulheres possuam peitos em quantidade suficiente para serem submetidos a esta tortura. Passei a considerar com maior seriedade a possibilidade de submeter-me a uma turbinada de silicone! Fazer mamografia sem peitos é o mesmo que confessar sem ter cometido nenhum crime!

venuss disse...

já vi que eu, com o meu peitinho de ovo frito, qdo tiver que passar por uma vô tá lascada.

Débora Elman disse...

Peito grande ou pequeno, é tudo igual.O tamanho do sanduíche não altera o gosto.Dói.