quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

O outro lado da cama

Eu não gosto muito de ar-condicionado. Mas confesso que nesses últimos dias ele tem sido imprescindível, ao menos pra dormir. A gata ouve o barulhinho do troço ligando e já corre pro quarto pra deitar na frente. O meu lado da cama é o que fica do lado do ar-condicionado. Tem uma distanciazinha considerável até, entre a cama e o aparelho, mas nada que garanta que o ser friorento aqui não congele as partes que ficam expostas ao ar. O vento bate direto no meu peito. Na primeira noite eu desliguei o dito e fui catar um ventilador. Marido não gostou do barulho, mas eu nanei feliz como a Bela Adormecida. Na segunda noite, ontem, a idéia era trocar de lado na cama, ele que aparasse o ar gelado com o próprio corpo. A gente já tinha tentado essa troca em verões passados, mas ela nunca durava muito tempo. Ontem lembrei por que. Eu acordo no meio da noite com pensamentos clichês de pós bebedeira: "onde eu estou, quem é esse do meu lado errado"? Até recobrar um mínimo de consciência e restituir a cena pré-cama, o meu cérebro já despertou e levo alguns minutos pra pegar no sono de novo. Eu também saio pro lado errado quando quero ir pro banheiro e, de novo, eu tenho que pensar e calcular e raciocinar, e isso me desperta mais uma vez. Dormindo do meu lado da cama, o piloto automático funciona que é uma beleza.
Já me disseram que quem tem problemas pra acordar de manhã (e eu levanto a mão bem alto pra me acusar) deve fazer o cérebro funcionar pra conseguir despertar mais rápido. O exemplo que o cara dava era que ele perguntava pra filha dorminhoca: qual a tua terceira aula? Pra chegar até a terceira, ela tinha que passar pela primeira e a segunda e pimba, o cérebro já tinha engrenado seu sistema básico de funcionamento. Aqui em casa, nos dias mais complicados pra sair da cama, o marido sempre pergunta: qual a tua terceira aula? E eu que não tenho mais aula fico raivosa fazendo força pra não pensar, mas pimba também, o cérebro já engrenou.
Acordar de madrugada no lado errado da cama tem o mesmo efeito pra mim. A cabeça desperta. Mas aí eu tenho que dormir mais um tantinho de manhã pra compensar os minutos perdidos à noite. E hoje esse tantinho durou uma meia hora.

10 comentários:

Enio Luiz Vedovello disse...

"[...]Mas confesso que nesses últimos dias ele tem sido imprescindível, ao menos pra dormir.[...]"
Que a frase ficou dúbia, ficou...

venuss disse...

ah, ENIO, mas tu tirou do contexto!

Maroto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ale disse...

Sou como tu, me desoriento legal caso eu troque de lado na cama. Segundo meu ex-marido, eu sempre escolho o lado da janela, não importa onde seja: hotéis, casa de amigos, etc. Eu nunca tinha reparado nisso. E acho ar condicionado simplesmente essencial, já que detesto calor!

Maroto disse...

já eu adoro ar condicionado e durmo em qualquer lado da cama (aliás, durmo no ônibus, no trem, no chão...). Quem dera o marido não roncasse!

Débora disse...

Eu tenho problema é com barulho. De ar, de ventilador, de ronco marital.Resolvemos com um split e uma máquina de astronauta ( ou escafandrista, conforme a fantasia do dia). Ou com um Valium.

Maroto disse...

débora, de que natureza é esse escafandro? Se vai ao médico para ocnseguir? Fiquei interessadíssima!

Sean Hagen disse...

*




eu tenho problema só com uma coisa: comigo mesmo.
se tudo me incomodo, o problema sou eu.



ei.
que 2008 seja muito legal.
menos quente, com mais horas de sono bom e com tudo mais que deixa a vida feliz.
beijo.




*

Índio Véio disse...

Bah, o lado de dormir não importa, importa que o barulho seja o mínimo...
Entre o ventilador e o ar, por ora optamos pelo menos barulhento. Pelo menos até encontrarmos alguma menos barulhenta, uma $$$$olução é claro!!!

Ass.
O Marido, da Venuss, naturalmente!!!

Eva disse...

Ah, venuss, confessa: todo esse papo de desorientação com o lado errado da cama e tal é só desculpa pra dormir mais um pouquinho. ;D