terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Psicose

Um dos bons momentos no ciclo de geralmente medianos, por vezes fraquinhos, mas em alguns momentos até que merecedores do adjetivo altos estudos Fronteiras do Pensamento aconteceu hoje, com a palestra do Michel Houellebecq.
Ao vivo ele também é interessante e de uma ironia instigante.
Radicalmente contra oficinas de texto e assemelhados, ele disse que não dá para ensinar alguém a escrever um livro, e que graças a Deus (não acho que ele tenha citado Deus, não combina, mas enfim, o sentido ia pra esse lado do exagero supremo) não existem escolas que ensinam a fazer romance na França.
E o golpe de misericórdia ele deu quando disse que as oficinas de escrita criativa no máximo servem como bons espaços terapêuticos para a pessoa se tratar de desvios psicológicos leves (aquele papo de desabafar na escrita, de se curar pelo texto). Bateu a neura? Elementar: te inscreve numa oficina literária, escreve que passa.
Não sei se eu teria gostado de saber a opinião dele sobre blogs. Acho que não.

2 comentários:

Enio Luiz Vedovello disse...

Acho que tanto a oficina literária como os blogs podem ser encarados como uma terapia. A diferença é que o blog é uma terapia individual onde todo mundo tem acesso à sua ficha.

Eva disse...

ÊNIO: é verdade! O blog é uma terapia de grupo em praça pública.