quarta-feira, 4 de junho de 2008

Alfacinhas

Chego na nossa obra (que um dia talvez venha a ser algo vagamente similar a uma casa habitável) e constato que, depois de 5 meses, definitivamente os pedreiros se apegaram ao lugar. O Zé, irmão do Maureci, plantou umas alfacinhas num canto do pátio. Estão lindas, verdinhas, viçosinhas, as minúsculas plantinhas. Comentei o evento hortifrutigranjeiro e o Zé me disse que ele e sua turma pretendem comer as alfacinhas lá pelas tantas. Ou seja, minha obra ainda vai durar no mínimo o tempo que uma minimicroalfacinha leva pra virar um pé de alface comestível capaz de encher a barriga de uma turma de pedreiros. Aiaiaiaiaiaiai. Alguém sabe me dizer, por favor, qual é a taxa de crescimento das alfaces?

5 comentários:

Toninho Moura disse...

É, começaram sutilmente a invasão!
Você tem quintal? Se tiver, já pense em uma edícula para seus novos vizinhos de terreno.
Mora em apartamento? Começe a ampliar as dependências da empregada.
Se eles exigirem suíte, bata o pé e recuse!

Enio Luiz Vedovello disse...

Em mais um convênio de utilidade pública Reflexões/Calçolas, eu posso dizer para ficar (um pouco mais) tranquila. Segundo este texto, da germinação ao plantio o tempo é de 50 a 80 dias, ou seja, a obra continua no prazo.

Cláudia disse...

Manda a Nãasei, comer todos pezinhos de alface... se ela não gostar eu "te empresto" um dos peludos daqui de casa.

Eva disse...

Toninho: edícula é uma linda palavra, preciso incorporar.
Enio: obrigada, obrigada. Preciso contar pro pessoal que comprou a minha antiga casa, pra explicar porque não vou desocupar o imóvel no prazo.
Cláudia: amei a idéia. E a Nãossei é tão vira-lata que é capaz de comer mesmo a alface.

venuss disse...

Alfacinhas acho que devem crescer mais rapidinho.
O problema vai ser quando eles resolverem plantar umas batatas e trazer uma galinha pra preparar uma típica maionese pra acompanhar o salsichão.