segunda-feira, 16 de junho de 2008

Mais perto do céu

Faz pouco que descobri os doces de Pelotas. Uma amiga que é de lá trouxe encomendas e várias provinhas no ano passado. Eu, como uma legítima formiga, adorei. Ainda mais que sou uma formiga exigente, e só gosto de doce se tiver leite condensado ou doce de leite. Não me venha com quilos de ovos, quero leite condensado, eu exijo. E vários doces levam o puro e arranhador de garganta leite condensado em suas receitas. Pois desde que a franquia Pedaço do Céu, que vende os típicos doces sempre fresquinhos, invadiu Porto Alegre, tenho enfrentado crises de abstinência e, junto com marido, criado estratégias pra comer algum docinho ao menos nos finais de semana. Todo domingo é a mesma coisa, depois do almoço, ataco com aquele olhar de minha glicose tá baixa, corre pro Céu. E pra piorar o quadro, o Céu tá bem próximo daqui de casa, porque até o Iguatemi dá no máximo 3 km, poucos minutos de carro. E a gente já vai torcendo pra ter aquela vaga estratégica perto da porta, pra dar tempo de entrar, estacionar o carro, invadir o shopping, correr pro Céu, escolher as maravilhas - a parte mais demorada - pagar e sair do estacionamento em menos de 20 minutos, pra sair dentro do prazo de tolerância pra não pagar o estacionamento. Tudo bem calculado e tentando melhorar o nosso tempo em cada treino. Vale mais pela brincadeira e pelas calorias que se gasta pra ficar dentro do prazo. Quando chove a estratégia é outra, vamos pro Bourbon Ipiranga que é mais longe, mas dá pra deixar o carro quase na porta, em menos de 6 metros a gente já tá batendo nas portas do Céu. Isso porque o Iguatemi em domingo de chuva beira o inferno.

Pra quem gosta de doce, realmente o nome Pedaço do Céu não podia ser mais apropriado. Agora eu ainda tenho esperança de que quando chegar a minha vez ir pro céu lá em cima, as coisas sejam ainda melhores. Além de quilos de doces de Pelotas me esperando em fila, minha noção de paraíso tem a ver com um lugar sem calorias. Isso sim é o verdadeiro céu.

E eu não posso deixar de lembrar do dia em que descobri que a Eva já vive nele.

9 comentários:

Cláudia disse...

hahaahahahahahah....só de olhar o doce eu já engordo!!!! aqui em casa o marido emagrace comendo hamburger e fritas, pode! e eu só com o cheirinho de fritura!
bjs
Cláu

Maroto disse...

Tenho evitado o Pedaço de Céu tudo o que posso, porque em São Paulo tem o Amor aos Pedaços, que já me acabou com a linha da cintura há uns bons anos. Cada pedaço melhor que o outro, lá e cá. Com muuuuito leite condensado, claro!

Japa Girl disse...

Oi!
Vim parar aqui por meio do Beco dos Felinos. Pelo que pude perceber, partilhamos de pelo menos 2 coisas: defesa dos direitos dos animais e dependência crônica de doces.
Voltarei mais vezes.
bjo

ale disse...

Hummm... nunca fui nesse lugar, nem conheço. Vou reparar quando for ao Iguatemi. Adoro uma boa trouxinha de nozes pelotense.

Débora Elman disse...

Eu nem quero saber onde fica o céu. Para pecar prefiro o inferno, leia-se lasanhas fumegantes, muita carne gorda.

mimi disse...

tô convencida de que povo da pedaço do céu pinga um troço qualquer naqueles doces, porque a pessoa fica dependente. eu já tive até síndrome de abstinência. mesmo agora, quando estou limpa há duas semanas, é só pescar na memória a imagem daquelas trouxinhas de chocolate ao leite, ou dos beijos alemães, que começo a tremer, alucinar e babar. vício é cousa triste.

Toninho Moura disse...

Vindo para SP, traga alguns para seus leitores, especialmente para este que aqui escreve.
PS: não os coma pelo caminho!

Cláudia disse...

venuss.. o que é aquilo! cliquei no "doces de Pelotas" e vi todos os doces maravilhosos, gente quanto quindim (adoro quindim!!!!!!!!!!) Esta feira de doces é de desecarnar diabético!
;)
bjs light (depois do todo doce de domingo!)

venuss disse...

CLÁUDIA: eu tb, só de olhar, cheirar e imaginar a minha barriga cresce. E marido que come-come e não engorda parece castigo (tenho um exemplar desses aqui em casa).

MAROTO: esses pedaços de doces vieram pra acabar com o nosso corpinho inteiro (sentiu a forçação no trocadilho?)

JAPA GIRL: eu demorei pra responder esse comentário, mas isso me fez ver que tu continuas voltando pro Calçolas. És sempre bem-vinda. Ainda mais se gostas de gatos e doces, doces gatos e gatos doces.

ALE: é uma perdição, melhor nem provar.

DÉBORA: o céu e o inferno se complementam. Vai dizer que um docinho do céu depois de uma lasanha do inferno não é uma boa forma de manter o equilíbrio (das escolhas, não do corpinho, né?)

MIMI: sim, pingam, e pingam algo derivado do crack, tamanho o grau de dependência que causa. Qdo falo do Pedaço de Céu pergunto pras minhas amigas: tão dispostas a ter um vício? Passa ali e prova um bj daquele alemão desgraçado de bom.

TONINHO: levo sim. mas não prometo que vou chegar com todos aí. O vício da pessoa é coisa desgraçada.

CLÁUDIA: e são esses quindins que habitam as banquinhas do Pedaço de Céu. Mas eu não gosto de quindim, não tem leite condensado.