sexta-feira, 20 de julho de 2007

Amélia existiu?

Hoje tirei o dia pra brincar de Amélia. Brincar, não, ralar. E muito. Das 9h às 16h fiquei faxinando a casa. Isso porque estou temporariamente sem faxineira. Um temporariamente que já se estende mais do que deveria. No início (há uns 45 dias) pensei que seria fácil dar conta da casa sozinha. Fácil é, mas é chato pra caramba. Tu acabou de limpar e já tem alguma coisa sujando de novo. É mais ou menos como nascer, cada dia que passa a gente fica mais velha e não tem jeito. Daí que, valendo-se da lógica ao extremo, se a gente não nascesse, não ficaria velha; se a gente não limpasse, ninguém saberia como é viver sem sujeira.
(Acho que cheirei Veja demais. E vcs concordam que vidrex tem um cheiro horrível, não tem?)
Essa história de cheiros me lembra da minha última consulta na dermatologista, há uns 10 dias. Fui pq tava com uma pequena alergia, umas pipoquinhas minúsculas perto dos olhos. A médica elencou uma série de possíveis causas, dentre elas: alergia a produtos de limpeza. Me senti chique demais, daquelas damas-dondocas-peruas que fecham o nariz com a pontinha dos dedos qdo a empregada passa o pano na casa. Mas o meu mundo de sonho, magia e peruísse acabou no balcão da primeira farmácia que eu entrei. A pomada que a dermato me pediu pra passar por 4 míseros dias na minúscula região afetada custava R$ 126,00!!! Por que o meu bolso não acompanha a mania de grandeza das minhas alergias, hein?! Um dia eu ainda vou escrever sobre as minhas 'sensibilidades', porque todo médico que diagnostica alguma coisa relativa a alguma alergia que eu tenha desenvolvido me diz: 'tu és muito sensível, também, branquinha deste jeito'. A ginecologista me receitou calcinhas de algodão pro resto dos meus dias, as mesmas calçolas que devem ser lavadas a mão, com sabão de glicerina (sabão, não vale sabonete de glicerina com cheirinho). O oftalmo disse que tenho olhos sensíveis à luz e que devo pingar colírio umas 3 vezes por dia no mínimo. Se eu tivesse olhos azuis, acho que eu só sairia de casa de olho fechado. O otorrino me manda ficar longe de cheiros, poeiras, ácaros, pêlos de bicho e ar-condicionado, tudo pra controlar a minha rinite.
E com tudo isso eu ainda me meto a faxinar a casa, buscando poeira nos mais recônditos cantinhos. Juntei mais de meio gato pelos tapetes da casa. E cheirei muito Veja, Pinho Sol, Vidrex, Sapólio... Agora tô aqui, fungando e contando meu dia de Amélia pra vcs.
Se Amélia não tinha a menor vaidade, eu não sei, agora que ela não tinha nenhuma alergia, isso eu garanto.

2 comentários:

Débora Elman disse...

Acho que essa Amélia não era mulher de verdade, se existiu mesmo era psicótica.Ah, ficar lavando, passsando e limpando e tudo de novooutravez,cosdeloco.

Eva disse...

Venuss, morri de rir com o texto. Chapação de Veja parece interessante. E sim, Vidrex não me cheira nada bem mesmo. Quanto às sensibilidades, lembrei da rosa do Pequeno Príncipe.