terça-feira, 11 de novembro de 2008

Podre

Se é domingo e estou em casa, pratico uma das várias atividades quase inconfessáveis que fazem parte da minha vida: assisto o Fantástico.

Mas nem meu lado mais trash aguentou a entrevista com a mãe da menina de 9 anos encontrada morta numa mala em Curitiba.

Só o fato de terem colocado no ar é necrofílico, abjeto, terrível.

Preferi trocar de canal correndo, e ver no Discovery um decumentário sobre cientistas tentando estancar o processo de putrfação de uma lula gigante (sério!).

Achei muito menos nojento ver uma imensa massa gelatinosa pútrida e disforme sendo manipulada por cientistas que tampavam o nariz, do que assistir a entevista que passava na Globo.

7 comentários:

ale disse...

Com certeza mil vezes melhor e lulona! Pelo menos é natural, ao contrário do outro assunto, que quase foge à nossa compreensão. Bjocas

Silvia disse...

Bendita hora que saí de casa. Não precisei ver isso...
como diz Denise: "o mundo subiu no telhado"...
*omundosubiunotelhado.blogspot.com

Enio Luiz Vedovello disse...

Se tem um programa que faz anos que eu não assisto é o Fantástico. E não sinto falta alguma. Aliás, televisão, para mim, salvo algumas honrosas exceções, como o CQC, só serve de monitor para assistir DVD...

Claudia Goulart disse...

Tb não aguento mais essas reportagens. Nem me dou ao trabalho de ligar a tv pra ver canal aberto.
bjs

venuss disse...

Eva, qdo é a reprise do programa das lulas?

Outra, vou começar a te ligar no domingo à noite, só pra te salvar do Fantástico. Amiga é pra essas coisas.

Édnei Pedroso disse...

Ó, que dúvida cruel: ver uma massa gelatinosa sendo manipulada por cientistas ou ver a grande massa sendo manipulada pela notícia de uma tragédia? Ó, que trocadilho tenebroso...=P

Na dúvida, leia um livro.

Bjos.

Toninho Moura disse...

Fantástico..., deixa ver..., é um programa de variedades que dá diploma em medicina para os que o assistem há pelo menos 20 anos?
Ahf! Não assisto isso não!